Portal do Governo Brasileiro

Publicado em 06.12.16

A preocupação e a responsabilidade para com o concurso público trouxe à UFSM duas representantes da Escola de Magistratura (Emagis) do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). A visita, que aconteceu em forma de reunião com a Comissão de Seleção e Ingresso (CSI) da Pró-reitoria de Graduação (Prograd), permitiu conhecer o trabalho, bem como os integrantes da Comissão de Autodeclaração, que faz parte da CSI, uma vez que o desejo da Emagis é que esse grupo de servidores da Universidade atuem no concurso que está em andamento para provimento de 22 vagas de Juiz Federal.

Segundo a assessora da Escola, Isabel Cristina Lima Selau, o referido concurso está na fase de correção da prova de sentenças. “Após, acontece a inscrição definitiva, período no qual ocorrem as comprovações necessárias previstas no Edital, como o tempo de atividade jurídica, por exemplo”, explicou ela. Da mesma forma, a autodeclaração para cotas (Ações Afirmativas) de negro ou pardo, que prevê reserva de 20% das vagas, também constante no documento, deve ser aferida. Após essa etapa, os candidatos passam para a última fase do concurso, constituída pela prova oral.

O presidente da Comissão de Seleção e Ingresso, professor Jerônimo Tybusch, ressalta que a autonomia universitária permite que a comissão de Autodeclaração realize entrevistas com os candidatos, nas quais além da documentação exigida, questões sociais e culturais são avaliadas. Jerônimo salienta ainda que a Comissão de Autodeclaração da UFSM é composta por 10 servidores, lotados em diferentes setores da Instituição, porém todos com atuação e relação com movimentos sociais.

Conforme a assessora e também responsável pelo Concurso da Emagis, Elaine Gorja, o grupo de servidores da UFSM atuarão junto ao TRF4 no mês de março de 2017. 

Texto e foto: Graziela Braga

Fonte: Notícias UFSM