Portal do Governo Brasileiro

Ministro da Educação promete liberação de recursos para campus de Cachoeira do Sul

 

Reunião sobre o campus de Cachoeira do SulO reitor da UFSM, professor Paulo Afonso Burmann, participou de uma audiência com o ministro da Educação, Mendonça Filho, ontem (11), em Brasília. A principal pauta da reunião foi a retomada dos investimentos federais para a conclusão de obras e contratação de docentes e técnicos-administrativos para o campus da UFSM em Cachoeira do Sul. Participaram do encontro os deputados federais Jerônimo Goergen (PP) e Henrique Fontana (PT), o prefeito de Cachoeira do Sul, Sérgio Ghignatti, o promotor de Justiça João Ricardo Tavares, que coordena a comissão comunitária Pró-UFSM, além do jornalista Alexandre Garcia, natural do município.

De acordo com o reitor, a reunião com o ministro teve resultados favoráveis à Universidade. Diante da solicitação pela liberação de vagas para contratação de servidores e de recursos financeiros na ordem de R$ 25 milhões para a continuidade das obras em Cachoeira do Sul, Mendonça Filho sinalizou positivamente. O ministro fez ponderações sobre as restrições orçamentárias enfrentadas pelo governo federal, mas reconheceu a necessidade de aporte de recursos extraordinários para o campus no município. A proposta do ministro é de que dentro de 15 dias seja apresentado um cronograma para a liberação dos recursos.

O ministro indicou também a possibilidade de liberação de vagas para a contratação de docentes para o campus de Cachoeira. A confirmação, porém, deverá vir dentro de 15 dias, como parte do cronograma de repasses para a Universidade.

O jornalista cachoeirense Alexandre Garcia; o prefeito de Cachoeira do Sul, Sérgio Ghignatti; o Ministro da Educação, Mendonça Filho; o deputado federal Jerônimo Goergen; o promotor de justiça, João Ricardo Tavares; o reitor da UFSM, professor Paulo Afonso Burmann; e o deputado federal Henrique Fontana

Para Burmann, o posicionamento do ministro dá novo fôlego para a manutenção do campus da UFSM em Cachoeira do Sul. “Estamos vivendo um momento político e econômico muito delicado. Em meio a tudo isso, o ministro demonstrou interesse pela expansão da Universidade e reconheceu a importância do campus para Cachoeira do Sul e a região, isso é muito positivo para nós” avalia o reitor. Segundo ele, a partir do estabelecimento do cronograma de liberação de recursos, será possível retomar as obras no campus.

Orçamento da UFSM –A possibilidade de novos cortes no orçamento das Universidades Federais também foi abordada pelo reitor Paulo Afonso Burmann, na audiência com o ministro Mendonça Filho. Segundo Burmann, nesta questão, não há um posicionamento efetivo do ministro. Segundo ele, a pauta ainda depende de definições do Ministério do Planejamento e da Fazenda “A expectativa é que até maio estejam definidos os cortes e limites gerais do orçamento, mas isso ainda é vago”, observa Burmann.

Outros compromissos –Ainda em Brasília, o reitor esteve, pela manhã, na Diretoria de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior (Difes), órgão ligado à Secretaria de Educação Superior do MEC, e à tarde na Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec). Nestas ocasiões, o reitor retomou a discussão acerca do saldo de recursos da Universidade, resultante do processo de migração do Colégio Agrícola de Frederico Westphalen para o Instituto Federal Farroupilha (IFF), ocorrido em 2015. A solicitação de liberação de vagas para o campus de Cachoeira do Sul também foi pauta das reuniões na Difes e na Setec. “Essa discussão já vem sendo conduzida há bastante tempo e agora temos alguns encaminhamentos nesta direção”, avalia o reitor.

O quadro "Conversa com o Reitor", da Rádio Universidade, tratou das reuniões em Brasília. Confira o áudio da entrevista com o reitor realizada pela jornalista Graziela Braga, na notícia publicada no site da UFSM (aqui).

 

Com informações da Assessoria de Comunicação do Gabinete do Reitor
Fotos: Apolos Paz