Portal do Governo Brasileiro

[ENTREVISTA] Conheça os protagonistas “de ouro” da OBMEP premiados este ano

Anualmente, a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) é realizada em mais de 20 estados brasileiros, com o intuito de estimular o estudo da matemática e revelar cada vez mais talentos dentro da área.

Em 2016, o Rio Grande do Sul obteve uma das melhores classificações a nível Nacional na OBMEP, com 46 medalhas de ouro. E a lista de premiados nos três níveis da prova é composta por alunos de escolas públicas de Porto Alegre, Santa Maria, Alegrete, Santo Augusto, Santa Rosa e outras 19 cidades da região.

Em novembro deste ano, ocorreu a premiação dos medalhistas desta edição, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. E o Núcleo de Divulgação CCNE conversou com a professora do Departamento de Matemática da UFSM, Sandra Eliza Vielmo e os medalhistas do ouro Matheus Schvan Zawaski e Victor Manuel Fernández Pérez, que participaram do evento.

 

1) Iniciaremos com você, profª Sandra. Como você se tornou Coordenadora Regional da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP)?

Sandra: Através de indicação da coordenadora regional anterior Profª. Luciane Gobbi Tonet, do Departamento de Matemática do CCNE/UFSM.

2) Para você, como tem sido realizar esse trabalho? 

Sandra: Tem sido muito gratificante, devido ao contato com as escolas da Educação Básica, com os premiados e familiares.

3) Este ano, de que forma a UFSM colaborou no processo de fases da OBMEP? 

Sandra:  A UFSM contribuiu com o espaço físico destinado a coordenação regional e a logística de recebimento das provas da 2ª Fase, que foram posteriormente distribuídas aos 127 municípios de abrangência da regional. Além disso, disponibilizou espaço físico para a realização da Cerimônia Regional de premiação que ocorreu no campus da UFSM em 25 de agosto de 2017, bem como veículo para o deslocamento até a cidade de Ijuí, onde também ocorreu Cerimônia Regional de premiação em 18 de agosto de 2017.

 4)  Agora, gostaríamos de saber um pouco mais sobre vocês, Matheus e Victor.  O Matheus recebeu uma medalha de ouro participando do nível 2 da OBMEP, no município de Santo Augusto. Enquanto a medalha de ouro do Victor foi obtida a partir da sua participação pelo Colégio Militar de Santa Maria, no Nível 1 da prova. Enfim, vocês começaram a participar das Olimpíadas Brasileiras de Matemática desde que ano?

 

Matheus: Eu participo da OBMEP desde 2014, quando eu cursava o 6º ano, primeiro ano em que se tem oportunidade de realizar a OBMEP.

 

Victor: Minha primeira participação na OBMEP foi em 2015, quando estava no 6º ano do Ensino Fundamental, e participei de todas as edições desde então. 

 

5) E para vocês, como tem sido essa experiência?

 

Matheus: Muito gratificante, pois nas minhas escolas públicas não se tem muito incentivo para você se dedicar mais, estudar mais, assim, além de a OBMEP dar essa gratificação aos mais empenhados, ela ainda dá acesso a um curso do PIC, que faz aqueles estudantes aprenderem ainda mais sobre matemática.

 

Victor: Posso afirmar que na minha vida a OBMEP foi um grande incentivo à matemática, pois ao contrário da matemática do colégio, onde nos depararmos com problemas repetitivos e somos obrigados a decorar fórmulas sem muitas vezes compreendê-las, o que obviamente torna o ensino nas escolas muitas vezes desinteressante e cansativo, na OBMEP eu fui apresentado a questões que me fizeram usar, além da matemática pura, muito raciocínio lógico e criatividade, e isso abriu os meus olhos para uma matemática totalmente diferente e incrível. Por isso, só posso dizer que essa experiência tem sido magnífica!

 

6) Quais foram as suas pontuações na primeira e segunda fase da prova, Matheus e Victor?

 

Matheus: Na primeira fase da OBMEP desse ano, eu acertei 12 questões objetivas e na segunda fase, 82 pontos.

 

Victor: Na primeira fase da prova, obtive 20 pontos e na segunda fase 107 pontos.

 

7) Essa será uma pergunta geral. Na OBMEP de 2016, cuja premiação ocorreu em 2017, o Rio Grande do Sul teve uma das melhores classificações a nível nacional. Em relação às Medalhas de Ouro, foram 46 medalhas. Para vocês, a que se deve essa conquista? Lembrando que duas dessas medalhas são de vocês, Matheus e Victor.

 

Sandra: Creio que ao empenho e dedicação dos alunos, das escolas e professores envolvidos que incentivaram esta participação. E aos pais ou responsáveis, que os apoiaram e acreditaram na potencialidade e talento matemático de seus filhos.

 

Matheus: Da minha parte, se deve ao meu empenho, com muito esforço e estudo e também ao incentivo dos meus pais. Todo dia, eu fazia várias questões de provas anteriores da OBMEP, para conseguir atingir essa meta de obter mais uma, das 200 melhores colocações no Brasil (Medalha de Ouro).

 

Victor: Acredito que essa conquista se deva ao apoio dos meus familiares e professores, e principalmente ao meu próprio empenho com o estudo da matemática ao longo do ano, o que é algo muito gratificante.

 

8) E como vocês, Matheus e Victor, se sentiram ao saberem que receberia este prêmio?

 

Matheus: Muito feliz, gratificado e entusiasmado. Por saber que receberia uma medalha de OURO que eu tanto sonhava/esperava, e por poder conhecer o Rio de Janeiro.

 

Victor: Ao receber a notícia, fiquei muito feliz. E agora espero poder aproveitar o Rio de Janeiro em 2018, pois fui medalhista de ouro também na OBMEP 2017.

 

9) No dia 14 de novembro, ocorreu a premiação dos medalhistas de ouro da OBMEP 2016 no Rio de Janeiro. Cerca de 501 estudantes participaram desse evento e entre eles, estavam vocês representando o Rio Grande do Sul. Como foi participar dessa premiação?

 

Sandra:Como coordenadora regional, fiquei responsável em acompanhar os oito medalhistas de ouro da RS02 até o Rio de Janeiro para a Cerimônia Nacional. Para muitos alunos, o fato de viajarem de avião à cidade do Rio de Janeiro já consistia em um momento de empolgação. E a viagem foi coroada com o momento da premiação no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, onde a empolgação dos medalhistas (muitos premiados pela primeira vez) contagiou a todos os presentes.

 

Matheus: Muito bacana. Fiz vários amigos, conheci outras culturas, outras pessoas, assisti a palestras, conheci o Cristo Redentor e o pão de açúcar, pois meus pais foram comigo três dias antes da premiação. E espero poder ir em 2018, novamente.

 

Victor: Para mim, a premiação foi uma das experiências mais incríveis que eu já tive. Porém, dentre tudo o que eu mais gostei foi ter a chance de conhecer pessoas novas e fazer amigos de todas as regiões do Brasil.

 

10) Essa é uma pergunta difícil, porém necessária. Vocês já sabem qual é a profissão que irão seguir, Matheus e Victor?

 

Matheus: Pretendo cursar Medicina ou alguma área de Engenharia.

 

Victor: Ainda não decidi exatamente que profissão quero seguir no futuro. Mas com certeza, será algo dentro da área de exatas.

 

11) Correto. Como última pergunta, o que vocês diriam a todos que torceram por vocês e tem apoiado a sua participação nas OBMEPs, no caso do Matheus e o Victor? E aos seus alunos participantes, profª Sandra?

 

Sandra: Acredito que a participação nas olimpíadas é apenas um passo inicial, propiciando o amadurecimento matemático e o surgimento de novas oportunidades e desafios. É uma caminhada permanente e enquanto alunos da Educação Básica podem participar do Programa de Iniciação Científica Jr. (PIC), presente na UFSM sob coordenação do Prof. Márcio Luis Mioto do Departamento de Matemática. Além disso, quando o medalhista ingressa no Ensino Superior tem a oportunidade de participar do Programa de Iniciação Científica e Mestrado (PICME) e do Programa Bolsa Tim – OBMEP, também existentes na UFSM.

 

Matheus: Muito obrigado por toda a sua ajuda, parte dessa medalha é sua também.

 

Victor: Eu gostaria de agradecer a todos e dizer que sem eles, talvez, eu jamais chegasse onde cheguei.

 

Texto: Arianne Teixeira de Lima                         Fotos: Arquivo pessoal

 

                                                     Oito medalhistas de ouro do RS na premiação da OBMEP

                                         (da esquerda para a direita, o 5º jovem é Matheus. Ao lado, a profª Sandra.

                                                          O 1º jovem agachado da direita à esquerda é Victor)

 

 

                                                          Alunos representantes do RS nas medalhas de ouro da OBMEP