A UFSM está elaborando a Política de Extensão, que vai balizar a concepção, o registro e a avaliação das ações extensionistas da Instituição. Nas próximas semanas, a minuta elaborada pela Pró-Reitoria de Extensão (PRE) passará a ser discutida com a comunidade acadêmica.

O pró-reitor de Extensão, Flavi Ferreira Lisboa Filho, explica que a construção de uma Política de Extensão para a UFSM foi um desafio assumido pela equipe da gestão ainda no dia da posse, em 4 de janeiro deste ano. “De lá pra cá, trabalhamos a partir dos documentos nacionais que existem, como a Política Nacional de Extensão e materiais do Forproex, e locais, considerando as nossas resoluções que dispõem sobre o tema”, relata. Da legislação, foram considerados o Plano Nacional de Educação (2014-2024), a Lei de Inovação, a lei que rege a progressão funcional, entre outras regulações.

Conforme Flavi, na primeira etapa a equipe da PRE trabalhou no desenvolvimento de uma minuta preliminar, elaborada a partir das leituras e discussões dos documentos referenciais e da experiência de cada um. Na sequência, a minuta foi encaminhada para todos os membros da Câmara de Extensão, que contribuíram com emendas (aditivas, supressivas ou substitutivas). De reunião realizada no dia 21 de junho saiu uma minuta revisada a partir dos debates gerados. O passo seguinte foi o envio do texto para as unidades, a fim de ampla divulgação e coleta de sugestões.

Nesta quinta-feira (28), Flavi e o pró-reitor adjunto de Extensão, Rudiney Soares Pereira, participaram da reunião de diretores para apresentar o estágio atual da minuta. O debate nas unidades terá início na terça-feira (3), no CE, pela manhã, e no CCSH, pela tarde (14h). No dia 10 de julho as discussões serão realizadas no CAL e no CCR. As demais unidades serão visitadas em agosto. Estes encontros têm como propósito discutir a Política de Extensão com a comunidade acadêmica e qualificar ainda mais o texto. A intenção é que a proposta da política chegue aos conselhos superiores até outubro.

O propósito da minuta é orientar e integrar as atividades extensionistas desenvolvidas na UFSM, de modo a colaborar para a construção de uma Universidade de excelência e socialmente referenciada. Desta forma, o texto dispõe sobre as diretrizes e os objetivos da extensão e da Pró Reitoria de Extensão da UFSM, caracteriza os eixos e as linhas de atuação da extensão, bem como suas ações e as possibilidades de financiamento. Além disso, busca trazer também questões relativas à avaliação dessas ações e à valorização da extensão dentro da Instituição, entre outras questões.

De acordo com o pró-reitor, a nova política vai balizar a concepção, o registro e a avaliação das ações extensionistas. Muda também a valorização e o reconhecimento do trabalho extensionista, seja por questões de progressão de pessoal ou pelo prêmio “Destaque Extensionista”. Além disso, suscita o debate da inserção da extensão nos currículos da graduação, amparada pelo Plano Nacional de Educação, e evidencia, no próprio texto, o alinhamento das ações extensionistas ao Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da Instituição.

“Uma universidade pública tem um compromisso muito grande com a sociedade. Neste sentido, a extensão é a instância que consegue viabilizar o encontro das demandas que vêm da sociedade e a produção de conhecimento, seja pelo ensino ou pela pesquisa. A extensão exerce ação transformadora na sociedade e nas pessoas que a vivenciam. A extensão deve marcar o caráter da universidade pública. Ela deve transbordar para a sociedade”, analisa Flavi.

Agência de Notícias UFSM


CENTRO DE IDEIAS

RSH sidebar marca

bannerzinho csa

INFOCCSHBANNERZINHO