E A NATUREZA FINALMENTE SE TORNARÁ ARTIFICIAL

"O ponto de partida da ciência humana moderna é a distinção de que a natureza está, de alguma maneira, dada, lá fora, e que a cultura é o feito distintivo do Homo sapiens que cresce da natureza, se separa dela e, então, dela se distingue." Esta é uma das afirmações do antropólogo norte-americano Paul Rabinow, professor da Universidade da Califórnia, Berkeley, em entrevista concedida a João Guilherme Biehl. Ele também aborda as implicações do mapeamento do nosso DNA (Projeto Genoma), do qual participa na descrição etnográfica e para quem “as conseqüências do projeto oscilam entre um reforço e uma criação de mais categorias de compreensão de nós mesmos, em termos genéticos e biológicos”.

Paul Rabinow


Principal | A revista PORT/ESP | Autores | Catálogo | Próximas edições | Como comprar |
Como publicar PORT/ESP | Livro de visitas | Equipe | Contato | UFSM
© 2002-2020 Ciência&Ambiente — Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Pierin.com