CRÍTICA POLÍTICA DA TECNOLOGIA

A sociedade moderna, industrializada, organiza-se em torno de um símbolo máximo: a tecnologia. Em nome do pretenso progresso que ela representa, arma-se uma complexa rede de poder, marcada por formas sutis de dominação, imperceptíveis para o cidadão comum, em geral desprovido dos conhecimentos elementares a respeito da ciência e da técnica. Todo este aparato, sob o controle da tecnocracia, tem conduzido a um tipo de sofisticação tecnológica que, a rigor, não significa vantagens para a sociedade em sua totalidade. Ao contrário, tem gerado fome, marginalização e desperdício. No caso da produção agrícola, longe de estimular a sustentabilidade, a moderna tecnologia traz consigo elevados custos ecológicos e sociais; ao invés de incorporar a experiência camponesa milenar, perfeitamente adaptada aos ciclos da natureza, as iniciativas governamentais e dos centros de ensino e pesquisa nesta área, orientam-se a partir de poderosos interesses econômicos transnacionais.

José A. Lutzemberger


Principal | A revista PORT/ESP | Autores | Catálogo | Próximas edições | Como comprar |
Como publicar PORT/ESP | Livro de visitas | Equipe | Contato | UFSM
© 2002-2020 Ciência&Ambiente — Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Pierin.com