Intervenções Humanas Na Natureza Amazônica

(século XVII Ao XIX)

Escrever sobre a história ambiental em regiões como, por exemplo, a Mata Atlântica, no Brasil, ou a costa mediterrânea, na Europa, requer um grande esforço de reconstituição de paisagens há muito desaparecidas. Mas, teria motivos o historiador ambiental para se dedicar à história da Amazônia, região cuja cobertura florestal apenas nas últimas décadas tem sido submetida a um intenso processo de destruição? Pesquisas demonstram que, naquela região, as relações entre o homem e o mundo natural sempre estiveram marcadas por importantes transformações, algumas delas anteriores à chegada dos europeus. A ação humana pré-colonial sobre a natureza amazônica legou produtos culturais que, em virtude das descontinuidades na ocupação de alguns sítios, foram recobertos por espessas camadas de sedimentos ou por densa vegetação, como que mimetizando a natureza. Por outro lado, a ação da sociedade colonial/nacional sobre o meio natural resultou em ameaças de extinção de espécies animais, em “crises ambientais” de caráter localizado e, ao mesmo tempo, em instrumentos legais destinados a controlar o acesso aos recursos naturais e a coibir sua destruição. São falsas tanto a noção de que o século XX herdou uma floresta virgem, quanto a idéia de que os europeus aqui encontraram uma natureza intocada.

Kelerson Semerene Costa


Principal | A revista PORT/ESP | Autores | Catálogo | Próximas edições | Como comprar |
Como publicar PORT/ESP | Livro de visitas | Equipe | Contato | UFSM
© 2002-2018 Ciência&Ambiente — Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Pierin.com