Principais Da Terra, Escravos E A República

O Desenho Da Paisagem Agrária Do Rio De Janeiro Seiscentista

No século XVII, a paisagem agrária do Rio de Janeiro, enquanto resultado das experiências de agentes com interesses diversos e próprios, não se desenhava apenas como um mapa recortado por canaviais definidos pela propriedade privada. Aquele cenário, na verdade, era modelado pelas disputas dos bandos da nobreza principal da terra (segmento social acima dos senhores de engenho) em luta pelo domínio da república (leia-se capitania). Da mesma forma, tal paisagem era redesenhada por outros processos, como as redes parentais dos escravos que, muitas vezes, atravessavam engenhos de diferentes senhores.

João Fragoso


Principal | A revista PORT/ESP | Autores | Catálogo | Próximas edições | Como comprar |
Como publicar PORT/ESP | Livro de visitas | Equipe | Contato | UFSM
© 2002-2018 Ciência&Ambiente — Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Pierin.com