OS RÉPTEIS FÓSSEIS DA REGIÃO DE SANTA MARIA

A presença, no subsolo da região de Santa Maria, Rio Grande do Sul, de uma das mais ricas ocorrências de fósseis do mundo, datada de 200 milhões de anos, representa a materialização de uma parte da história da vida na Terra que, por rara e feliz coincidência de circunstâncias, ali ficou preservada. Nesta trajetória, que começou há 3,5 bilhões de anos, o tempo de existência do homem corresponde a uma fração infinitamente pequena (cerca de 100 mil anos); trata-se, portanto, de um personagem que apareceu apenas na última linha da última página de um livro que ainda está sendo escrito. Proteger o patrimônio fossilífero significa, então, atribuir valor às formas de vida que vieram antes de nós e que, de algum modo, exerceram influência sobre a nossa própria existência.

César L. Schultz


Principal | A revista PORT/ESP | Autores | Catálogo | Próximas edições | Como comprar |
Como publicar PORT/ESP | Livro de visitas | Equipe | Contato | UFSM
© 2002-2020 Ciência&Ambiente — Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Pierin.com