Título: Aplicação da espectrometria de massa com plasma indutivamente acoplado para a análise quantitativa de biomoléculas com marcadores exógenos: uma revisão*
Aluna: Sindy Raquel Krzyzaniak
Área de concentração: Química Analítica
Data e hora: Segunda-feira, 21 de agosto de 2017, 13:30 h
Local: Sala 2103 - Prédio 15A (NAPO)

Os seminários estão abertos ao público.

A consolidação da era “OMICs”, a qual compreende a genômica, transcriptômica, proteômica, dentre outras ciências, tem contribuído significativamente para a evolução da pesquisa biológica. Para compreensão dos mecanismos biológicos e dos processos bioquímicos envolvidos em sistemas complexos, são necessários estudos direcionados para a identificação e quantificação de biomoléculas. Dentre as técnicas analíticas, a espectrometria de massa (MS) é a principal ferramenta, pois permite elevada sensibilidade e/ou seletividade para identificação e quantificação de moléculas biológicas de alto e baixo peso molecular. No entanto, empregando fontes de ionização brandas acopladas à MS, a intensidade dos sinais não é proporcional a concentração das biomoléculas. Dessa forma, a determinação elementar de marcadores internos (Cu, Fe, P, S e Zn, por exemplo), presentes naturalmente como heteroátomos nas biomoléculas, pode ser feita utilizando a espectrometria de massa com plasma indutivamente acoplado (ICP-MS). No entanto, o uso de marcadores internos como fósforo e enxofre, por exemplo, é dificultado pelos limites de detecção relativamente elevados para tais elementos, que apresentam baixa razão m/z, além de interferências poliatômicas. Dentre as estratégias utilizadas para minimizar esses problemas, o uso de marcadores exógenos, como por exemplo, nanopartículas metálicas, agentes quelantes e marcadores a base de polímeros, ampliam as aplicações da técnica de ICP-MS para a quantificação de biomoléculas.

*Trends in Analytical Chemistry 93(2017) 78-101;  DOI: 10.1016/j.trac.2017.05.008.

loader

Social Media