S5 Corporate Response - шаблон joomla Книги
Integração Lavoura Pecuária

      O sistema plantio direto foi adotado pelos agricultores como forma de tornar seus sistemas mais sustentáveis, inicialmente como alternativa para o controle da erosão e perdas de água e solo (OLIVEIRA et al., 2012; PANACHUKI et al., 2011) e recentemente em busca da melhoria da qualidade (BAYER et al., 2009) e do potencial produtivo dos solos agrícolas, objetivos estes não alcançados no sistema convencional. No entanto, esta melhoria não se manifesta de forma homogênea em toda área, pois em lavouras comerciais é possível verificar subáreas com diferentes níveis de qualidade e, portanto, com diferentes potenciais produtivos (AMADO et al., 2007). Já no caso da integração lavoura-pecuária quando se tem lavoura, produção de grãos e a produção animal há uma série de interações, sendo elas o pisoteio, a desfolhação e a produção de excrementos pelos animais, que afetam o sistema, acentuando ainda mais a heterogeneidade da área (CARVALHO et al., 2010; DA SILVA et al., 2013).

      Os animais ao se locomover, ao pastejar, proporcionam alterações no sistema, distribuindo suas excreções de forma heterogênea no espaço, já que as concentram em pontos atrativos (cercas, cochos de sal e água, sombra e porteiras) da pastagem (DA SILVA et al., 2013).   Essa variabilidade influencia a representatividade e o mapeamento dos indicadores de fertilidade do solo, que afetarão as recomendações de adubação e a própria produtividade da cultura comercial (CARVALHO et al., 2011; DA SILVA et al., 2013). Assim, sobretudo em sistemas integrados o uso de médias em todos os seus seguimentos (produtividade, teores de nutrientes no solo, entre outros atributos) não é a melhor estratégia (SANTI, 2007), quando se procura entender o sistema e , assim racionalizar o uso de insumos e, principalmente, criar estratégias de manejo para melhor aproveitamento destes nutrientes pela cultura de grãos. Faz-se necessário o pleno conhecimento da influência de um sistema no outro, lavoura comercial influenciando a pastagem e a pastagem influenciando a lavoura.

      Neste contexto, diante desta nova realidade, as ferramentas da agricultura de precisão (AP) podem ser utilizadas como meio de gerenciar a variabilidade existente neste sistema, seja através do uso eficiente de corretivos e fertilizantes, ou ainda o manejo dos animais na área. Fortemente baseada na tecnologia da informação, a AP tem por princípio básico o manejo da variabilidade dos solos e culturas no espaço e no tempo. Pierce e Nowak (1999) utilizaram a seguinte definição: “Agricultura de Precisão é a aplicação de princípios e tecnologias para manejar a variabilidade espacial e temporal, associada com todos os aspectos da produção agrícola, com o objetivo de aumentar a produtividade na agricultura e a qualidade ambiental”.

      Diferentes etapas compõem a AP: identificação da variabilidade; caracterização da variabilidade; identificação do (s) principal (is) fator (es) limitante (s); desenvolvimento do plano de ação; manejo da variabilidade e avaliação econômica e ambiental (COELHO, 2005). Assim, vários métodos tem sido sido recomendados e utilizados para identificar, caracterizar e entender a variabilidade espacial das culturas em uma determinada área, sendo eles: monitor de colheita, de solos, fotografia aérea, amostragem sistematizada de solos, sensores eletrônicos e sensoriamento remoto.

      A elaboração do mapa de colheita define a variabilidade espacial da produção de uma cultura, mas não explica a variabilidade observada. Assim, os dados de desempenho da cultura no campo devem ser associados com outras informações, para o entendimento das causas da variação observada. De acordo com Dampney e Moore (1999), os principais fatores causadores da variabilidade na produção das culturas podem ser classificados em três categorias: fatores fixos, difíceis de serem alterados (textura e profundidade do solo); fatores persistentes, que podem ser alterados (características químicas e físicas do solo: pH, nutrientes, densidade, etc.); e fatores sazonais, alterações em curto espaço de tempo (clima e incidência de pragas e doenças). Dentre essas, as propriedades comumente avaliadas devido a sua alta variabilidade nos solos referem-se àquelas associadas a sua fertilidade, como: cátions trocáveis (H, Al, Ca, Mg, K),matéria orgânica, fósforo disponível e micronutrientes (Zn, Mn, Cu, Fe, B) (COELHO, 2005). Assim, a análise da produtividade das culturas, ao longo dos anos, é uma excelente ferramenta para a identificação das propriedades do solo limitantes a esta produtividade (MOLIN, 2002).

      Para o conhecimento desta heterogeneidade química do solo, as amostragens de solo são realizadas em malhas definidas a partir de programas de computador ou mesmo amostragens dirigidas (“inteligentes”) baseadas no conhecimento prévio do local (SANTI, 2007), como por exemplo, a distribuição de placas de esterco em áreas de integração lavoura-pecuária. Assim, pode-se realocar os insumos na área de forma eficiente. Neste caso, a distribuição dos insumos pode ser realizada por zonas de manejo ou por zona de aplicação, uma alternativa simples, ou auxiliada pelas várias opções de equipamentos com sensores e atuadores capazes de executar o trabalho em taxa variada plena (variação das doses de acordo com as exigências espaciais da área, contidas em um mapa digital transposto ao controlador do equipamento) (SANTI, 2007).

      Parte da variabilidade espacial e temporal na produtividade das culturas de soja, milho e trigo, em latossolo vermelho distrófico típico, foi explicada pela variabilidade de atributos químicos do solo e pela amostragem intensiva e georreferenciada do solo, sendo fundamentais no processo de racionalização do uso de insumos, sendo que os mapas de colheita subsidiaram as intervenções de manejo, visando alcançar elevadas produtividades (SANTI et al., 2012). Já Souza (1992) ao estudar a variabilidade espacial de atributos do solo sob diferentes usos e manejos, verificou alto coeficiente de variação para teores de P, K e matéria orgânica, encontrando variabilidade aleatória, atribuída à distribuição das excreções dos animais ao longo dos anos de pastejo.

 

Objetivos Gerais:

  • Avaliar a variabilidade espacial e temporal da produtividade da soja pela análise de três mapas de colheita e compreender sua relação com a distribuição espacial de placas de esterco e atributos químicos do solo, e avaliar a qualidade do solo em diferentes intensidades de pastejo em sistema de integração lavoura-pecuária.
  • Analisar três mapas de colheita e relacioná-los com a distribuição espacial de placas de esterco.
  • Analisar três mapas de colheita e relacioná-los com atributos químicos do solo.
  • Avaliar o efeito de diferentes intensidades de pastejo sobre os índices de qualidade do solo.
  • Avaliar o efeito de 10 anos de integração lavoura-pecuária sobre os estoques de carbono no solo, comparados com a floresta de galeria.
  • Validar valores de relação de estratificação para integração lavoura-pecuária no Sul do Brasil.

 

     

 

 

Doutoranda Responsável:Francine Damian da Silva

Artigos gerados apartir do experiemento: Pasture grazing intensity and presence or absence of cattle dung input and its relationships to soybean nutrition and yield in integrated crop livestock systems under no-till

Soil carbon indices as affected by 10 years of integrated crop–livestock production with different pasture grazing intensities in Southern Brazil

 

 

 

 

                       

Endereço:
Avenida Roraima, 1000 - Prédio 42
Santa Maria, RS, BR 97115-900

Contador de Visitas:

IP Address