Contribuição Ao Conhecimento Fitoecológico Do Sul Do Brasil

Os eventos geológicos e climáticos associados aos centros e fluxos florísticos constituem os fundamentos sobre os quais assenta-se o modelo proposto para classificar a vegetação primária sul-brasileira. O modelo aqui sintetizado baseia-se na presença de um “centro de umidade” – gerado em conseqüência do “evento tectônico-magmático sul-atlântico” – como condicionante primária das formações vegetais tipicamente ombrófilas que se estendem pelas regiões sul e sudeste do país. De outra parte, o planalto meridional, as elevações costeiras, a continentalidade e o oceano originado na passagem do Jurássico para o Cretáceo, dentro das latitudes subtropicais, foram considerados como fatores climáticos fundamentais. Mereceram igual consideração os trabalhos de Balduíno Rambo sobre eventos geohistóricos, centros e fluxos florísticos, analisados à luz dos conhecimentos atuais. Enfim, os conhecimentos amplos sobre fitofisionomia, composição florística e parâmetros ecológicos – clima, relevo, litologia e solos – permitiram dar forma ao modelo composto por nove regiões fitoecológicas e aplicável ao sul do Brasil.

Pedro Furtado Leite


Principal | A revista PORT/ESP | Autores | Catálogo | Próximas edições | Como comprar |
Como publicar PORT/ESP | Livro de visitas | Equipe | Contato | UFSM
© 2002-2018 Ciência&Ambiente — Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Pierin.com