Portal do Governo Brasileiro

Estrutura Curricular


A principal característica a ser mantida na estrutura curricular é a solidez dos conteúdos fundamentais e a abrangência na formação profissional. A qualidade do ensino-aprendizagem dos conteúdos básicos deve ser mantida, assim como os níveis de exigência adotados nas disciplinas e nas atividades complementares. Porém, a aprendizagem deve ser facilitada através da contextualização dos conteúdos, da organização dos conhecimentos de um modo que desperte a capacidade de visão sistêmica e da integração de conteúdos teóricos e práticos, básicos e profissionalizantes, imprimindo uma percepção inter-disciplinar aos problemas de engenharia.

Nas ACG, o aluno terá a oportunidade de identificar tanto como os seus conhecimentos de Engenharia de Telecomunicações podem ser úteis na solução de problemas nessas áreas, quanto perceber como os conhecimentos dessas áreas podem ser úteis em Engenharia Elétrica.

As disciplinas obrigatórias podem ser classificadas, conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia, nos seguintes núcleos de conteúdos: Núcleo de Conteúdos Básicos, Núcleo de Conteúdos Profissionalizantes e Núcleo de Conteúdos Específicos.

No primeiro semestre, o estudante deverá desenvolver uma noção geral sobre a Engenharia de Telecomunicações, formando uma visão ampla sobre os principais tipos de sistemas, os problemas relacionados a projeto e análise em cada um deles, a ponto de identificar as ferramentas (matemáticas, computacionais) e os tópicos de conhecimentos necessários à competência em cada área. A construção dessa visão pelo estudante, associada ao estímulo da prática do planejamento profissional, deve proporcionar uma motivação extra ao aprendizado dos conteúdos básicos e dos fundamentos dos conteúdos profissionalizantes, permitindo, ainda, que ele possa escolher e aplicar conscientemente as ferramentas para o seu trabalho. Neste semestre, o aluno deverá iniciar a construção de sua habilidade de compreender de forma sistêmica, as diversas áreas e sistemas encontrados em Engenharia de Telecomunicações. Concomitantemente, inicia-se o domínio de ferramentas básicas disponíveis na solução dos problemas de engenharia, por exemplo, o cálculo, a programação de algoritmos, a estrutura e propriedades da matéria.

O segundo semestre é dedicado principalmente ao desenvolvimento da metodologia científica, do pensamento crítico, da capacidade de análise. Outras importantes ferramentas começam a ser aprendidas nesse semestre: física, cálculo integral, lógica, estatística e métodos numéricos computacionais. Neste e no próximo semestre, nas atividades complementares de graduação, o aluno poderá exercitar sua capacidade de identificar problemas na sociedade, desenvolver noções de elaboração e execução de projetos.

No terceiro semestre, o estudante deverá aprofundar, ampliar e fortalecer as habilidades construídas no segundo semestre. A capacidade de análise e a aplicação de metodologia para a solução de problemas deve ser ampliada e exercitada na prática, com problemas de engenharia. Neste semestre, o aluno passa a ter um maior contato com a área de Engenharia de Telecomunicações através das disciplinas de circuitos digitais e eletromagnetismo.

No quarto semestre, aprofundar, ampliar e fortalecer as habilidades e conhecimentos construídos nos semestres anteriores são os objetivos deste semestre. As habilidades em laboratório são aprimoradas nas aulas práticas das disciplinas de eletromagnetismo e circuitos elétricos, que devem, também, proporcionar o domínio da redação técnica, através dos relatórios.


No quinto semestre, o Curso deverá começar a proporcionar aos estudantes, os elementos básicos do exercício profissional em: Sinais e Sistemas, Telecomunicações I e Circuitos eletrônicos. A partir destes conhecimentos fundamentais, o aluno, nos próximos semestres, aprofundará seus conhecimentos nas áreas de eletrônica e telecomunicações, melhorando o seu nível de compreensão e suas habilidades.

O sexto semestre amplia a fundamentação para conhecimentos e habilidades técnicas, acrescentando: comunicação de dados, eletrônica de potência, eletrônica analógica.

No sétimo semestre, o aluno começa a colocar em prática o planejamento de sua formação, então, ele começará a cursar disciplinas complementares das áreas onde planeja aprofundar os seus conhecimentos e habilidades.

No oitavo semestre, o aprofundamento, a atualização e a ampliação dos conhecimentos profissionais específicos têm continuidade. O acadêmico começa a planejar seu Trabalho de Conclusão de Curso e, dessa forma, começa a refletir e avaliar sobre os conhecimentos adquiridos e a ter maior consciência sobre seu papel, sobre as oportunidades e conseqüências relacionadas à sua atuação.

O nono semestre desempenha papel significativo na formação do estudante. Neste semestre, é executado e apresentado o Trabalho de Conclusão de Curso, que constitui um meio para que o aluno possa integrar os conhecimentos e as competências adquiridos ao longo do Curso e aplicá-los na prática. O acadêmico passa também a ter informações sobre administração e legislação, as quais, em conjunto com as atividades complementares de graduação, poderão ajudar no desenvolvimento de um perfil empreendedor, propiciando uma maior atuação na sociedade. Neste semestre, o aluno deverá, ainda, preparar-se para a inserção no mercado de trabalho, desenvolvendo atividades que o ajudem na obtenção de uma boa colocação.

O décimo semestre deve proporcionar oportunidades para que o aluno aplique seus conhecimentos e competências em ambiente profissional e esteja preparado para aproveitar as oportunidades de trabalho associadas ao estágio obrigatório.